NO VELÓRIO DE SARAMAGO

Saramago disse o que disse. Já todos conhecemos o génio comercial desse "mau escritor talentoso" (como o definiu um europeu galardoado com o Nobel da Literatura), geralmente associado ao disparate. Muito se tem comentado. Ateus, católicos, judeus, protestantes e outros mais indefinidos vêm dizendo de sua justiça. Uns bem e outros mal, uns com demasiada fartura, outros com infeliz magreza.
Quanto a mim - perdoem-me... -, não quero gastar velas com ruins defuntos. Sinceramente, não vale a pena comentar as palavras de alguém com tão pouca autoridade moral e ética.

3 comentários:

Edu disse...

Também sou da opinião de que se está a dar demasiada importância a este assunto. Quanto mais importância lhe damos, mais publicidade gratuita lhe fazemos.

RV disse...

Ora aí está! É cairmos no jogo do indivíduo. O problema está apenas em que o anti-cristianismo está a crescer na sua expressão, porque é o cristianismo a religião que nos libertará desta sociedade em que vivemos.

RV disse...

Ora aí está! É cairmos no jogo do indivíduo. O problema está apenas em que o anti-cristianismo está a crescer na sua expressão, porque é o cristianismo a religião que nos libertará desta sociedade em que vivemos.