ANTOLOGIA DE POESIA JUDAICA (1)

DEIXA-ME, OUTRA VEZ

Deixa-me, outra vez, sentir o cheiro da terra,
Estalido morno da água silenciosa,

Penumbra e silêncio da tulha no estio,
Apelo nocturno de um fogo campestre,

Que eu ouça, que eu sinta, que eu tenha a impressão
Do ácido sabor das frutas maduras,

Ajuda-me a lembrar o som da foice,
A alegre humidade do orvalho nocturno,

E traz-me, traz-me, nas asas do vento,
O seco rangido da carroça, a léguas,

Suspiro de espiga debulhada - Ajuda-me,
Ó Deus, a lembrar a linguagem da aldeia.

J. ROLNIK (Rússia, 1879-1955), na antologia de poesia judaica Quatro Mil Anos de Poesia, organizada por J. Guinsburg (São Paulo, 1969)

(Tradução de Paula Beiguelman, revista por RV)

4 comentários:

sandra costa disse...

Gostei muito deste poema.

Ana disse...

Não tens nada que agradecer a publicação do teu poema na Encosta... só ficou a ganhar quem o leu.
Gostei de te visitar e gostaria de ler mais coisas tuas.

Ruy Ventura disse...

Agradeço muito a vossa caminhada por esta "Estrada"...
Fico grato, ainda, pela divulgação que façam dela...
Tentarei, com o tempo, não defraudar o interesse dos visitantes.

Cláudia disse...

Que bonito... :)