PROFESSORES

Não resisto a divulgar um texto que me enviou a minha amiga Maria João Peres. Como ela escreve, o professor - neste país - tem sempre defeitos...

... se é jovem, não tem experiência...
... se é velho, está superado...
... se não tem carro, é um coitado...
... se tem carro, chora de "barriga cheia"...
... se fala em voz alta, grita...
... se fala em tom normal, ninguém o ouve...
... se não falta às aulas, é um tontinho...
... se falta, é um "turista"...
... se conversa com os outros professores, está a falar mal dos alunos...
... se não conversa, é um desligado...
... se dá a matéria toda, não tem dó dos alunos...
... se não dá a matéria, não prepara os alunos...
... se brinca com a turma, arma-se em engraçado...
... se não brinca, é um chato...
... se chama a atenção, é um autoritário...
... se não chama, não se sabe impor...
... se o teste de avaliação é longo, não dá tempo...
... se o teste de avaliação é curto, tira oportunidades aos alunos...
... se escreve muito, não explica...
... se explica muito, o caderno não tem nada...
... se fala correctamente, ninguém o entende...
... se utiliza a linguagem dos alunos, não tem vocabulário...
... se o aluno é reprovado, foi perseguição... ou o professor não o apoiou...
... se o aluno é aprovado, o mérito é apenas dele... ou o professor facilitou.

Que vida a dos professores! Seja como for, levam bordoada - dos alunos, da comunidade, dos pais, dos empresários, do Ministério... Está na hora de ajudá-los a cumprirem a sua tarefa: instruir e educar.

1 comentário:

Ribeirinho Leal disse...

O texto está muito bem elaborado e conhecia um parecido referido aos Sacerdotes.Nos tempos que correm é realmente muito difícil ser-se Professor: a família que não coopera e é lesta no demolir; a sociedade que critica sem saber do que fala; os programas que deixam muito sa desejar; a instabilidade nas colocações dos docentes e, ainda por cima, as atitudes do próprio Ministério que por assim dizer faz da dos Professores o bode expiatório dos fracassos sucessivos das suas más políticas de educação. A desmotivação acaba por se instalar, o que deveria ser missão torna-se obrigação penosa... e assim por diante.