Retábulo (5 e 6)


as flores

o vidro quebra as linhas da paisagem.
quando anoitece, as flores
saem do papel de embrulho
e difundem sobre o azeite
(na cozinha)
traços e cores
que fragmentam a divisão dos olhos.
há saliências na pedra
e no coração. o quadro
desperta
a acidez das sombras.

[Nicolau Saião]



o vidro

traços. traços
e algumas palavras
envolvendo as cores
e os minutos.
o vidro estala perante a exposição.
abre uma porta
quanto a manhã hesita
nesta terra.

[Nicolau Saião]

4 comentários:

Anónimo disse...

Estão bem um para o outro, muito bons rapazes.

Zipzip disse...

Quem será este anónimo? Alentejano ou nem tanto? Ou apenas um...

Anónimo disse...

Ó zipzip e tu se calhar és um corno.

zipzip disse...

Assumo. Já somos dois. Mas tu ainda por cima és parvo. Serás parvo de portalegre, elvas, vila viçosa, crato, montargil ou saíste debaixo duma pedra?