A ESCALADA DO MINISTÉRIO

As novidades vindas do Ministério da Educação parecem não ter limites. Em vez de assumir as suas responsabilidades pelo estado do Ensino em Portugal, continua a tapar-se com relatórios internacionais (cuja metodologia e fiabilidade ninguém conhece) para atacar o grupo profissional da Função Pública que tem piores e mais desorganizados sindicatos.
Para alguns membros do governo é difícil e incómodo bater nos poderosos (os médicos, por exemplo) e, mesmo quando parecem arrear, fazem apenas festinhas um pouco mais fortes (veja-se a Magistratura...). Mas surram os fracos, aqueles que não têm organização suficiente para enfrentarem a miopia e a arrogância de quem deveria respeitá-los.
Primeiro foi a preguiça: os professores não querem trabalhar, afirma o Ministério. Depois o ordenado: ganhando muito (tanto que os professores ganham...) poderiam fazer mais ou, fazendo o mesmo, ganhar menos. Agora é a ignorância: não têm conhecimento sobre as matérias que leccionam. Onde vai parar isto?

2 comentários:

zé da marizé disse...

Como professor o digo: vai parar ao fascismo sem mais, é claro.

Anónimo disse...

Antes fosse Zé da Marizé , antes fosse , pelo menos,tinhamos dignidade e autoridade o que nos roubaram ja ´ha algum tempo em prol d "LIBERDADE " E DOS "COITADOS DOS ALUNOS " sempre com os papás atrás a ver se o professor não bate no menino e se o passa mesmo que ele não saiba nada .Quanto ao Estado Governo a sua formação académica recente mostra estes resultados :Formação para a estatistica , para encher os computadores de resultados FABULOSOS EM TERMOS DE APAROVEITAMENTO , mesmo que , não se aproveite nada