Antologia “Fanal”

CARLOS GARCIA DE CASTRO



Bolo-conforto

Ficamos aqui bem neste pousio.

- A chuva há-de voltar numa enxurrada à solta,
de madrugada, coração paciente.

Quem mais há-de saber para aqui ficar?

Espaldar duma cadeira onde me sento
de alerta no meu quarto a recordar.

Ficamos aqui bem neste pousio.

- A chuva há-de voltar numa enxurrada aos corpos.

Quantos já são os anos e as nervuras?
- cadeira do espaldar onde me sento
ao canto, deste quarto, coração paciente.

E para o depois da morte, que fazer
da nossa cama – esta! que aqui fica?
e mais a tal cadeira com o seu espaldar,
onde me sento alerta a recordar.

A chuva há-de voltar. A chuva é sempre solta.

Ficamos aqui bem neste pousio.

Deixa que tudo seja dimensão.

Que mais interessa do que vai ficar?

(nº 0, 14/04/2000; na imagem, quadro de Nicolau Saião)

1 comentário:

Cláudia disse...

Até apetece fechar os olhos e "ouvi-lo" palavra por palavra, docemente como quem se aconchega. :)