PRÍNCIPE DA LIBERDADE

Mário Cesariny não era um santo, nem sequer um santo literário ou artístico. Era, sem dúvida, como poucos, um príncipe da liberdade - que honrou a Ordem nacional da dita com a sua adesão.
Estará no caixão a rir-se, com vontade de escarrar nas fuças de certos meninos que, fazendo parte do muro de ocultação que toda a vida tentou rasteirá-lo, vêm agora afirmar - sim-senhora... - a altitude, óbvia, da sua poesia e da sua pintura. Desejam, no fundo, esconder que a grandeza expressiva e interior de quanto escreveu e pintou é a melhor prova contra a sua mediocridade, a sua hipocrisia e a sua maldade...
Quem baterá latas no seu funeral, hoje? Quem romperá aos saltos e aos pinotes? Quem fará estalar no ar chicotes? É preciso... porque o corpo invisível glorioso deste Mário-Outro deve ir de burro, entrando nos Prazeres (estranha polissemia...) aclamado como um ungido pelas palavras e pelas tintas.
Emanação luminosa da impureza do estrume que somos, conseguiu encontrar aí - como o pinto da narrativa tradicional - o ouro que nos faz suportar este mundo, feito de tanta merda que nada fertiliza.

20 comentários:

marilena disse...

Muitíssimo bem Ruy Ventura, até nas "palavras fortes" que em geral não usa. Mas nós entendemos que é a sua sensibilidade de poeta e homem sério que o "leva a isso", ferido por tanta malandrice.
Parabéns e continue.

Anónimo disse...

Enalteçam a obra (os que dela gostam), louvem o inconformismo, a irreverência, se tal vos apraz.
Mas não ponham agora no altar o tio Cesariny.
E sobretudo não falem de "meninos", fraqueza maior do artista.
Surpreende tanta raiva no discurso de Rui Ventura.
Não o sabia tão próximo de Cesariny...

Anónimo disse...

Ou seja: não incomodem...

É o que está por detrás desta cházada deste homónimo anonymous.

Por outras palavras: sejam delicadinhos, para que o país continue como os "meninos" gostam.

Tem piada a lata deste anonymous, porquanto o RVentura diz logo a abrir que o "tio" não era um santo.

Sou capaz de perceber a raiva dele. É a raiva de quem não gosta de "meninos", nomeadamente os que fazem cá do país uma gaitada de meninices.

zé da marizé disse...

Para o primeiro anónimo
- diz este senhor/senhora que não sabia RV tão próximo de Cesariny. Nem tinha que saber. Porque é que havia de saber? Mas se puxasse pela cabeça ou se estivesse minimamente atento, pois é evidente que se trata de pessoa de letras, mesmo eventualmente grossas, saberia que em muitíssimos lados RV já exprimiu essa "proximidade".
E é preciso estar "próximo" para se sentir a morte de um poeta e de ao exprimir essa perda se detapar a melena aos tais meninos peritos em cultivar jardins mal cheirosos?
Eu nunca estive "próximo" de Mário Cesariny, mas o que ele nos deu durante décadas, mesmo diabinho como era, põe a milhas de distância as pacoviadas dos entrepreneurs de letras&artes, meninotes ou não.
O que o anonymous deixa transparecer é isto - sejamos mansos,sejam mansos, que da mansidão é o reino dos céus (da literatura mansarrona).

Nirvana disse...

Alguns desses meninos devem estar a pensar assim: morreste, morreste, deixa passar a onda e vai pró c..., vamos estar na nossa, afinal nada mudou, vamos nas calmas que a festa continua. Está lá o sócrates, está lá o cavaco, o jerónimo e por fora a outra cégada,está tudo na mesma, deixa-os pousar que a literatura é nossa e também os dinheiros poucos ou muitos que ela dá, que importa sermos uns cromos, sermos uns arrivistas, quem é que vai reparar no país da corda? Queremos é borga à conta do povacho.
E é verdade. Com santos ou diabos.
O que os meninos querem é put... e vinho verde.Verticalidade? "Isso não dá de comer a ninguém" como dizia a outra.

Panasca Assumido disse...

"Enterra a fundo Mário se quiseres
baratinar os chuis
Nem vinho, já sabemos,nem mulheres
- mas os colhões de teres
os três olhos azuis!"

Ary dos Santos

E o resto é conversa de bétinhos. Até sempre velhote!

Já Chega disse...

Ó anonymous da primeira divisão, a fraqueza maior do artista é fazer maus versos e más pinturas, não é ter o coração ao pé da bôca.
Fazem cada vez mais falta neste país de caca pessoas com o coração ao pé da boca. E não me venhas com atitudes de vestal pulcra que o teu discurso já a malta o topou.
Serás tu tão pressuroso em denunciar os saramaguejantes que por aí andam? Ou pensas que a literatura é coisa de "respectueuses"? E quando morrer o Pacheco, que sempre se urinou para os teus "meninos"? Contratas um sacristão para te benzer a conversa docinha e falsamente equilibrada?

"icunuclasta" disse...

É comovente ver todas estas espadas em riste, em defesa do poeta e de seus seguidores.
Daí não vem mal ao mundo, cada um come do que gosta.
A propósito, Ary dos Santos (outro incontornável) escreveu em louvor de Cesariny:

"Fornica meu poeta
sem a arnica
dos padrecas da terra.
Antes em Telavive que o tal estar
aqui
de cu pró ar
a ver quem nos enterra".

Pelos vistos, há quem goste...

Nirvana disse...

Há quem goste de quê? De poesia a valer ou de o enterrar fundo?
E quando é que esse gosto define, para mal ou para bem, um poeta?
Cesariny e Ary dos Santos foram o que foram enquanto seres sexuados.
E qual o problema? Acho que ser homossexual ou heterossexual é uma coisa da privacidade. Pelos vistos e pelos não vistos, ora toma.
E se o icunuclasta gosta ou não, é assunto só dele.
Menos comovente seria termos de andar todos outra vez de boca tapada. Ou com o cu, que vem a dar no mesmo.

alberto camus disse...

Isto é uma vergonha!
Em vez de falarem da poesia e da pintura de Cesariny de Vaconcelos, falam das suas preferências sexuais. Ele nunca se fingiu um jacobino como o Eugénio e tantos que por aí andam. Sempre se assumiu como "comedor de rapazes"...
Estranho o Ruy (ou marizé, a merda é mesma...) falar com raiva e não aceitar as vozes discordantes.
Mas isso é o dia desta estrada, cheia de lama.

Anónimo disse...

Pelo que vejo, há aqui uns fanáticos que defendem o patrono pelas piores razões.
Este Alberto Camus é que diz bem, falem do poeta que foi notável.
A fuga para a frente dos defensores da honra de Cesariny é que é estulta.
Nem ele teria gostado de ver a figura que estão a fazer.
Ele não precisa de tais advogados. Para quê essa precipitada tentativa de exorcizar vícios íntimos que ninguém chamou à colação?
Para quê essa correria para branquear o lado cinzento quando ninguém lhe atira pedras por isso?
Cesariny ficará na História como Artista. Ponto final. Que descanse em paz.
E vocês também.

Nirvana disse...

Mas quem é que quer branquear? Ou defender honras? O Ruy a meu ver apenas falou como achou que devia falar. Do poeta, do pintor, da pessoa como autor numa sociedade que não está bem. Não impediu ninguém de falar. Ou opinar, vejo que os comentários neste blog são livres. Nem ninguém impediu. Dar opinião contrária é isso mesmo, é o direito de opinar.
Quem exerce pressão são os que têm lama. Não vi que a Estrada tivesse.
O resto é conversa para ripar.Com orientação talvez desorientada.E isso é que a meu ver é merda.
Patronos? Tanto quanto tenho visto o único patrono aqui é a poesia. Mas não a de poetastros.
E invocar um Cesariny morto ("ele não teria gostado",sic) para defender com isso pontos de vista próprios é que é abusivo.

"icunuclasta" disse...

"Camus": "Ponto final.", escreve com autoridade.
Ponto final? Vá lá pôr pontos finais em sua casa, se acaso não morar em hotel ou pensão.
Ponto final? Você não deve andar a colocar a pontuação como deve ser. Apenas.
E acho que os poetas descansam todos em paz. Não é preciso dizer isso. Com a mesma autoridade, que pelos vistos é característica.

"icunuclasta" vero disse...

Esta é bem interessante.
O "icunuclasta" das 5.35 não sou eu, o das 12.44, o que significa que alguém anda a ver se cria confusão, sinal de certa desorientação e desconforto.
Não se cansem mais, rapazes, o assunto está esgotado.

alberto camus disse...

Pois, icunuclasta.
Estás-me a ver de óculos ou de binóculos?
Confusão, 'tá bem deixa.

Já Chega disse...

Querem ver que eu também não sou eu? Fantasmas, posso lá crer.
Dedicado a esses kilas aqui vai um puema do mano mário para esses iluminastas e comus:

Nota à Introdução

Pinar só co'a cabeça
É protérrima noção
Ca Literatura começa
Ter em muita aceitação.

Entrada a tola entra tudo: taco
Tórax e veio.
Se não couber no buraco
Racha-se o buraco ao meio.

- Nem rachar será preciso:
Só rasgar um bocadinho,
Como na árvore, inciso,
O nome do passarinho

MC de V

Anónimo disse...

Fantasmas??? Então é comigo.
E tenho a dizer, ó vilecos: podem chamar-me tudo, mas não admito que me chamem tio, como aquele anonymous que se percebe bem quem é, o tal que estribou um livro razoável e depois, se calhar por causa das delicadezas, das orangodelicadezas,veio por aí abaixo e já não se pode ler, ó pensaste que não tinha percebido que eras tu? Malandreco...
Se te apanho dou-te com um manual de prestidigitação na cabecinha fidalga que até ficas mais menos delicado.

panasca assumido disse...

E porque é que não se há-de aludir a sexo se isso vier a propósito? Porque é que o alberto camus ou sem ser camus diz que é uma vergonha? O Alberto Pimenta tem um livro que fala desses temas, o Melo e Castro tem o Caralhamas, são coisas da vida essa vida que o Cesariny dizia em muitos artigos e entrevistas que era a essencia da poesia.
Disse que sou panasca, não homossexual porque isso é para gente fina, porque isso fazia sentido. Os homófobos não gostam de ouvir falar em panascas, credo!
É mais uma forma de nos discriminarem, como discriminavam o Cesariny, ele conta isso nos livros.
E mais esta: "Ama como a estrada começa". Estrada, não beco, betinhos.

Anónimo disse...

Este anónimo das 8.22 deve ser o terror lá da rua dele, musculoso, verdadeiro Rambo das bibliotecas.
Que triste espectáculo de pretensos intelectuais que nem sequer percebem onde começa o jogo.
Lamentável, meninos. The game is over.

Anónimo das 8.22 disse...

Para o anónimo das 9.16: fico satisfeito por verificar que não tens senso de humor e és um sonso.
Porque isso te vai fazer dar o couro mais depressa, não sabes que o espírito de ironia (que o velho tanto cultivou e ainda bem) é melhor que os comprimidos que alguns médicos receitam? Vem em qualquer manual...
Não te aguentas, és pacóvio e dizes em estilo de prima-dona: the game is over. Por favor... E falas em pretensos intelectuais???!
Vê-se que não tens barriga para caldos.
Musculoso? Rambo? Mas a tua inteligencia só chega aqui? Não vês que a literatuira é para gajos com sustância? Por isso fazes versos tão mauzinhos (não chegam a maus).
Olha, ires de abalada é um favor que fazes a todos. Dum lado ou doutro, vileco.