INGENUIDADE

Um amigo saiu há pouco da ingenuidade literária. Começou a aperceber-se da trampa que rodeia a escrita, ou melhor, a sua publicação e/ou divulgação. Mais tarde ou mais cedo, acontece a todos. Nesse momento, só existem três caminhos: resistência, desistência ou cumplicidade.

7 comentários:

Vanessa Pelerigo disse...

é resistir, é resistir..

Mequetrefe disse...

Que se passa? Quem é o protagonista
dessa desvirginização?

Anónimo disse...

Isso querias tu saber, ó mequetrefe, talvez para o tramares melhor...

mequetrefe disse...

Não percebo. Faço uma pergunta normal, em vista do que se diz, e
um anónimo vem com uma frase sem sentido. Entrou-se na paranóia?

RUY VENTURA disse...

Como nos contos tradicionais, o nome próprio da personagem não interessa, mas apenas a moralidade da narrativa.

Manuel Meira disse...

Bela moralidade, atirar-se um post para o ar e deixar tudo no vago. É que nem se percebe. Seria demais pedir que esclarecesse? Era só isso.

Luis Eme disse...

Eles não sabem... mas a curiosidade colocou o gato anónimo em trabalhos...

E sempre podem comprar uma revista de "cusquices", pode ser que consigam colar alguém ao desenho...