100 anos depois...

"Organização política dominada por uma 'tribo' pouco escrupulosa, ávida de poder e proventos"... "rotativismo" criador de "uma série de clientelismos"... "a intriga, o despotismo, a conspiração"... "poder anónimo e irresponsável que frequentemente dirige, duma maneira indirecta, mas efectiva, toda a alta política da governação"... "falência"... "fisco absurdo".
Será o Portugal actual muito diferente do apresentado nestes fragmentos escritos em 1909, retirados de um relatório elaborado pelo sociólogo Léon Poinsard, encomendado pelo rei D. Manuel II e pago do seu bolso? Cada vez me inclino mais para uma resposta negativa. Ontem, como hoje, o problema do país não é de regime, mas de governo.

1 comentário:

Ruca disse...

E de pessoas. A coisa está de tal maneira que já nem se pode chamar pantomineiro político ao Sócrates.
Lesa majestade.