CRÓNICA DE UM DESASTRE

Li há poucos dias o livro de Nuno Crato intitulado O 'Eduquês' em Discurso Directo - Uma Crítica da Pedagogia Romântica e Construtivista, editado pela Gradiva. Não me trouxe quaisquer novidades, mas teve o condão de esclarecer e fundamentar uma visão empírica do desastre em que está mergulhado o nosso sistema educativo. Merece ser lido com toda a atenção e, sobretudo, sem preconceitos, para que tenhamos todos consciência das causas reais do insucesso da nossa Instrução e do nosso Ensino que, pela calada, têm contribuido perigosamente para uma sociedade desigual, injusta, medíocre e ignorante (embora afirmando o contrário).
Sobre ele, deve ler-se um artigo recente de Vasco Graça Moura, publicado no Diário de Notícias de 5 de Maio passado. Não anda longe do que penso.

7 comentários:

outrocromo disse...

o graças mora é um grande pidagogo k não gramaba o agostinho silva. o pidagogo daki ilogiou o agostinho e agora ilogia o graças. á sinceridade nisto? não á não á.

Ruy Ventura disse...

Ninguém elogiou Graça Moura, houve sim uma manifestação de concordância com a sua leitura de um livro. Louvei e louvo a figura de Agostinho da Silva, o que não significa que concorde com a sua visão romântica do ensino.

outrocromo disse...

koncordar kom o graças pidadogo diz tudo,lol.

zé da marizé disse...

V.Graça Moura é um reaccionário e nessa medida um interessado em pôr em causa tudo que lhe cheire a esquerda. No entanto a visão agostiniana está longe de constituir uma panaceia para melhorar o estado caótico a que o ensino chegou. Graça Moura sabe contudo que os ministros da sua área política também têm largas culpas no cartório.
Entre as duas visões muito haverá a dizer e parece urgente abrir uma discussão séria que tente modificar tudo, não apenas para deitar ministros abaixo. Com simples ressentimentos não vamos lá.

a.candeias disse...

Não me parece que uma discussão séria, cito, resolva nada, já há muito que se sabe qual o nó do problema e esse é que este género de ensino está condenado, sem Piagets nem Agostinhos ou Graça Mouras. Qualquer professor o sabe e pensar-se que temos voto na matéria é pura ilusão para não dizer pior. Às vezes como professora sinto-me a lutar contra moínhos de vento.

Ruy Ventura disse...

A questão não está na concordância com o graça moura ou com agostinho. A questão está na concordância com nuno crato, que fez uma análise fundamentada do nosso sistema educativo e da desgraça, promovida por ministério e "especialistas" dogmáticos em ciências da educação.
Qualquer pessoa com bom senso já viu o que está a acontecer.

rockabilly disse...

" A escola é o espelho do país", Pedro de Moura Santos. É isso!