JOSÉ DO CARMO FRANCISCO

As rolhas da Catalunha
e os meninos do Circo

Eu vi e não queria acreditar. Saí de Lisboa com destino a Newcastle no dia 25 de Abril à hora de almoço e regressei na madrugada do dia 3 de Maio. Ao todo oito dias de ausência. Com o objectivo de ficar com uma ideia de como estava o País liguei a RTP 1 para ver o Bom dia Portugal. E foi aí que vi o que não estava à espera de ver. Ou seja, duas reportagens das quais eu me lembrava de ter visto antes de sair de Portugal no dia 25 de Abril. E ambas permaneciam como se nada tivesse acontecido.
As rolhas portuguesas que são muito apreciadas pelos produtores de vinho na Catalunha e os meninos do Circo que já podem ter uma directora de turma através de Internet. Fiquei chocado por ver como é possível a indigência chegar a este ponto. Mais de oito dias depois lá estavam as rolhas e os meninos. Havendo tantos assuntos de interesse é espantoso como, mais de uma semana depois, os mesmos trabalhos televisivos aparecem no Bom dia Portugal como se fossem feitios naquele dia. E nem sequer estou contra os jornalistas porque eu próprio também sou jornalista. Estou é contra o sistema cultural que permite estas coisas insólitas. Mais que insólito: tudo isto é imoral, absurdo e anti-deontológico. Dito de outra maneira: haver enlatados de notícias é um crime contra a liberdade que todos temos de exigir uma informação limpa. Como há enlatados musicais ou enlatados de telenovelas. Nós que pagamos os nossos impostos não podemos estar à mercê de gente como esta. Gente que em vez de puxar pela imaginação se limita a ir aos arquivos e mandar por no ar notícias velhas de mais de oito dias. Sem qualquer respeito pelos espectadores. Sem respeito por nada. Sem respeito por ninguém.

3 comentários:

José Ferreira Marques disse...

Jornalistas,Zé Francisco!?

António Cagica Rapaz disse...

Também considero falta de respeito a forma como a informação está transformada num espectáculo televisivo, verdadeira feira de notícias.
É inadmissível que um jornalista nos diga que "o rei da Prússia vai a tribunal", por exemplo, e não desenvolva logo a notícia.
Pelo contrário, anuncia que voltará ao assunto, dali a pouco ou na segunda parte.
E passa a outra flamejante informação, a unha encravada do Simão ou algo semelhante.
É uma vergonha.

Anónimo disse...

assim wse embebeda o povo vai indolentemente navegando em aguas almas e ténues de informação não se desenvolve para não estimular o cererbro pode fazer mal ao poder instalado numa pseudo democracia conquistada a um poder que se afirmou totalitário e com laivos de fascismo ,mas , aDemocracia quwe ganhámos à custa de suór e algum sangue foi-se desvanecendo e vivemos numa ilusão democr´tica onde nada se passa e tudo é cor de rosa -ás vezes escuro mas em todo o caso côr de rosa . se amtes havia censura agora tambêm o há , está è encapotada é mais esperta corrompe mais , è assim uma espécie de veneno doce que vai adormecendo as almas com noticias pouco validas de essência mas com conteudo elástico que se vai anumciando ao longo de uma emissão noticiosa e se der para ir requentando então é ouro sobre azul