JOSÉ DO CARMO FRANCISCO


Poema do código do Multibanco


Escolheste para o código do Multibanco
Por acaso o ano em que nasceu a tua mãe
Um tempo e um Mundo a preto e branco
A guerra acabou e há casas sem ninguém

Por acaso será só uma maneira de dizer
Pois assim quando fazes os pagamentos
Por detrás do teu bonito nome de mulher
Esse código afirma a força dos momentos

Quando nasceste era tempo de guerra-fria
O mundo estava mais feio, mais separado
A tua mãe estava entre uma dor e a alegria
De tu nasceres mas sem um pai a teu lado

Sempre que tu pagas o telefone e a água
E usas um código que é uma homenagem
Eu fico com os meus olhos numa mágoa
Da tua mãe vem um exemplo de coragem

1 comentário:

plenitude disse...

Fico muito contente, por encontrar a poesia de José do Carmo Francisco.
Este poema é muito bonito!Parabéns a quem o escreveu e a quem o colocou!